Planejamento financeiro

É melhor financiamento direto com a construtora ou com o banco?

janeiro 11, 2019
Tempo de leitura 6 min

Após encontrar a casa, apartamento ou terreno ideal, a pessoa esbarra em uma dúvida muito frequente: é melhor fazer um financiamento direto com a construtora ou com o banco? São duas opções muito boas, mas cada uma com suas vantagens e desvantagens.

Por isso, é muito importante entender como funciona cada modalidade de financiamento e analisar cuidadosamente alguns fatores antes de decidir qual a opção que melhor se encaixa na sua situação.

Por isso preparamos este artigo! Entenda mais sobre financiamento direto com a construtora e financiamento com banco antes de se decidir. Boa leitura!

Como funciona o financiamento direto com a construtora?

Nesse tipo de financiamento, a construtora assume a dívida pelo comprador. Ou seja, a construtora compra o terreno onde será construído o imóvel  e ambos negociam como o pagamento pode ser feito.

Ou, então, a própria empresa que fez o loteamento disponibiliza a opção para solicitar o financiamento para a compra de seus terrenos. É mais comum as construtoras financiarem terrenos, mas em alguns casos também financiam apartamentos e casas.

Nesse caso, o financiamento costuma ser de apenas uma parte do valor total do imóvel, geralmente sendo o equivalente ao valor de entrada do imóvel, com o valor restante financiado pelo banco.

O financiamento de imóveis direto com a construtora começa antes mesmo do início das obras. Ou seja, o interessado pode comprar o imóvel direto na planta e vai pagando a dívida até quitar o valor total do imóvel.

Para ser efetivamente o proprietário do imóvel, o comprador deve quitar a dívida toda, mas já pode começar a usufruir do bem assim que estiver pronto e adequado para ser habitado.

Como funciona o financiamento de imóveis com o banco?

Do mesmo modo que um terceiro assume a dívida no financiamento direto com a construtora, também ocorre no financiamento com o banco. O início do pagamento, contudo, só ocorre depois que o crédito é liberado.

Além do mais, existem mais etapas a serem percorridas até a efetivação da compra de um imóvel. Para financiar um imóvel com o banco, o interessado precisa atender aos pré-requisitos básicos exigidos pela instituição bancária.

Em seguida, deve entrar em contato com o banco para fazer o cadastramento de solicitação do financiamento. Depois será feita uma análise de crédito e uma avaliação no imóvel. Com tudo em ordem, é só assinar o contrato e começar a pagar as parcelas do financiamento.

Nesse caso, o comprador também pode usufruir do bem enquanto quita a dívida e só será proprietário legítimo após cumprir o contrato de financiamento.

Você ainda deve estar se perguntando qual é a melhor escolha e se deve financiar direto com a construtora ou com o banco, não? Para ajudar nessa dúvida, separamos os principais fatores que devem ser avaliados na hora de escolher com quem financiar. Confira no próximo bloco!

O que deve ser considerado na hora de escolher com quem financiar?

Valor do imóvel

Na hora de escolher o tipo de financiamento, é importante avaliar o valor do imóvel. Há situações em que financiar com a construtora é mais vantajosa do que financiar com o banco. Vamos analisar!

Pelo Sistema Financeiro de Habitação, as taxas de juros são mais baixas quando o valor do imóvel não é superior a R$ 150 mil. Se o imóvel tiver valor superior, as taxas de juros serão maiores.

Isso acontece porque o objetivo desse tipo de financiamento é estimular a compra de imóveis pela maior parte da população, principalmente a população de baixa renda. Dessa forma, o valor total do imóvel é afetado.

Então, para quem deseja adquirir um imóvel de luxo, o ideal é realizar o financiamento direto com a construtora.

Taxa de juros

Nos dois casos, há índices de correção dos valores do imóvel. A diferença está no momento em que essas taxas de juros são cobradas e qual é a situação do mercado. A construtora não cobra juros enquanto o imóvel está sendo construído, mas corrige o contrato na data de sua assinatura.

Para tanto leva em consideração a variação do Índice Nacional de Custo de Construção (INCC). Então, com o imóvel pronto e com as chaves entregues, são aplicados os juros acrescidos pelo IGP-M, que serão atualizados anualmente até o final do financiamento.

Já os bancos cobram uma taxa de juros acrescida da taxa referencial. Então, para avaliar qual é a melhor opção de taxas de juros, é necessário acompanhar as mudanças no mercado.

Condições de pagamento

O financiamento por meio dos bancos costuma ter prazos longos para o pagamento da dívida, podendo chegar até 420 meses. Já no financiamento direto com a construtora, o prazo é menor e dificilmente ultrapassa 120 meses.

Então, quem deseja pagar a dívida mais rápido — o que influencia nas taxas de juros — deve optar pelo financiamento direto com a construtora. Já em relação ao uso do FGTS no financiamento do imóvel, ele é aceito pelos dois.

O momento e o modo para utilizá-lo é diferente nesses dois contextos. No financiamento direto com a construtora, o FGTS pode ser utilizado apenas para quitar a dívida restante. No financiamento com o banco, o saldo do FGTS pode ser utilizado a qualquer momento, seja para dar a entrada, seja para diminuir a dívida ou quitar o saldo restante.

Flexibilidade na negociação

Outro fator importante a ser considerado quando se pensa em financiamento é a flexibilidade na negociação. Se o comprador tiver dificuldades para realizar o pagamento de uma parcela, pode entrar em contato com a construtora para encontrar a melhor forma de resolver o problema.

No financiamento com o banco, isso não é possível. Isso faz com que os compradores prefiram fazer um financiamento direto com as construtoras. A flexibilização na negociação também pode ser entendida como a possibilidade de negociar as taxas de juros e os valores do parcelamento.

No financiamento  bancário, há muitas etapas até a conclusão do processo de financiamento e a exigência de muitos documentos. Além do mais, por ser um processo padronizado, não há margem para muita negociação.

Já o financiamento direto com a construtora é bem mais fácil e rápido, pois o processo de aprovação de crédito é encurtado e a construtora solicita menos documentos, o que agiliza as etapas do processo de financiamento.

Na hora de buscar um financiamento, é necessário avaliar todas as condições de financiamento. Entre as opções disponíveis, o financiamento direto com a construtora pode ser uma boa opção para você realizar o sonho da casa própria.

Gostou dessa possibilidade de financiar o seu imóvel? Então, compartilhe o nosso artigo com os seus amigos nas redes sociais.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up